quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Curso de Pedagogia da UFMA tem início em Pio XII







No dia 19 de agosto passado, iniciou-se em Pio XII o curso de Pedagogia, pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), voltado para professores que buscam uma primeira licenciatura. O curso representa a culminância dos esforços da Secretaria de Educação de Pio XII em prol da viabilização de uma formação acadêmica de qualidade para os docentes da rede municipal de ensino.
Após o lançamento e aula inaugural, realizada em Pio XII, no dia 19/08, os 50 acadêmicos do curso deslocaram-se para São Luís, nos dias 31 de agosto, 1º e 2 de setembro, onde participaram, na UFMA, do “Seminário de Ambientação Acadêmica”. Dentre outras atividades, os acadêmicos de Pio XII e dos municípios de Codó, Cururupu, Monção, Poção de Pedras e Santa Inês, participaram das palestras “Formação de professores: travessias e diálogos sobre saberes docentes na contemporaneidade”, da professora Doutora Marise Marçalina de Castro Silva, e “A Universidade Federal do Maranhão e o Programa de Formação de Professores”, proferida pelo Professor Doutor José Bolívar Burbano Paredes.
O curso está contemplado na Plataforma Freire e no Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR). A coordenadora do curso de Pedagogia em Pio XII, Annes Lima Silva Souza, ressaltou “os esforços do prefeito Paulo Veloso e, principalmente da Secretária de Educação, Iara Portilho, e da Secretária Adjunta, Iracélia Naiva, para atingir o objetivo de trazer o curso para Pio XII”. A coordenadora afirmou ainda “estar muito feliz, por participar desse momento e de ver a felicidade no rosto dos nossos acadêmicos, por estarem recebendo uma educação de professores mestres e doutores, com uma qualidade excepcional de conhecimento e dedicação ao ensino superior. Pio XII está de parabéns”.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Prefeitura de Pio XII recebe repasse de convênio para urbanização da BR 316


Recebi e-mail da Controladoria Geral da União informando sobre repasse recebido pela Prefeitura de Pio XII para realização da 1ª etapa de urbanização da BR 316, conforme os dados abaixo:
Os convênios do município de PIO XII/MA que receberam seu último repasse no período de 27/06/2016 a 03/07/2016 estão relacionados abaixo:


Número Convênio: 800601 
Objeto: APOIO A PROJETOS DE INFRAESTRUTURA TURÍSTICA - 1o ETAPA DE URBANIZACÃO DA PRINCIPAL VIA DE ACESSO LOCALIZADO NA BR-316 NO CENTRO DO MUNICÍPIO DE PIO XII- MA. 
Órgão Superior: MINISTÉRIO DO TURISMO 
Convenente: PREFEITURA MUNICIPAL DE PIO XII 
Valor Total: R$ 487.500,00 
Data da Última Liberação: 27/06/2016 
Valor da Última Liberação: R$ 146.250,00 

sábado, 25 de junho de 2016

Escola Nunes Freire lança livro com histórias do povoado Lagoa dos Crentes




Na tarde de ontem, 24/06, a escola Governador Nunes Freire realizou o lançamento do livro “Colhendo Histórias: histórias e causos do povoado Lagoa dos Crentes”. A obra foi publicada dentro do programa Mais Cultura nas Escolas e registra a memória de alguns dos moradores mais antigos do povoado Lagoa dos Crentes, na zona rural do município de Pio XII. A escola teve como parceiro cultural o professor Gilcênio Vieira Souza.
O programa Mais Cultura nas Escolas foi criado pela presidente Dilma Roussef em maio de 2013, com o objetivo de promover a circulação de cultura nas escolas e contribuir para a formação de público para as artes na comunidade escolar, por meio de parcerias entre as escolas, artistas e entidades culturais. Em Pio XII, o programa, dirigido pela Secretaria Municipal de Educação, tem como coordenadora a professora Valmilúcia Silva do Nascimento.
O trabalho realizado pela escola para a publicação da obra envolveu os professores, os alunos e as pessoas da comunidade cuja trajetória de vida confundem-se com a história do povoado Lagoa dos Crentes.
Através dos depoimentos, a obra permite reconstituir alguns dos momentos da história da comunidade e do município de Pio XII, como a construção da BR 316 e as mudanças pelas quais passou o povoado:
“Quando abriram essa estrada aí que vocês estão vendo, essa BR 316, nós morávamos lá por trás e logo o povo começou a fazer casa aqui beirando a estrada” (Maria Alves de Lima da Silva).
“Cheguei em 1967. Eram poucas casas, a Igreja Assembleia de Deus era bem pequeninha e de taipa, não tinha energia nem água encanada. Ah, não tinha também a escola. Cada professora ajeitava um lugarzinho na sua casa pra receber aquelas crianças” (Tereza Cavalcante França). 
Na próxima terça-feira, 28/06, às 14 horas, no Clube Drink Som, a Secretaria de Educação de Pio XII promoverá o evento de lançamento da obra na sede do município. 












quinta-feira, 26 de maio de 2016

Morreu o percussionista, cantor e compositor Papete

Morreu na madrugada desta quinta-feira (26), aos 68 anos, o percussionista, cantor e compositor José de Ribamar Viana, o ‘Papete’.
O músico maranhense não resistiu ao câncer na próstata diagnosticado no início do ano. Papete estava internado no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.
O corpo do músico deve chegar a São Luís na madrugada desta sexta-feira (27). O velório tem início às 6h, na Casa do Maranhão, região central da cidade. O corpo de Papete será cremado no fim da tarde.
Nascido na cidade de Bacabal, no interior do Maranhão, Papete foi um dos principais divulgadores e guardiões da cultura popular de seu estado.
Pesquisador dos ritmos do bumba-meu-boi, do tambor-de-crioula, do tambor-de-mina e de outras manifestações culturais do seu Estado, ligadas às culturas indígena, africana e ibérica. Papete conseguiu que estas manifestações chegassem ao resto do país a partir da década de 1970 quando se transferiu para São Paulo.
Biografia
Trabalhou como percussionista em gravações de artistas como Toquinho e Wanderlei Cardoso. Em 1972, se transformou em diretor artístico da gravadora ‘Marcus Pereira’ Ponde gravou seus três primeiros LPs, entre eles o hoje clássico “Papete, berimbau e percussão”
Em 1975, participou do Festival Abertura (TV Globo). Gravou, com a cantora Ornela, o disco “Uomini”, premiado, em 1977, como Disco do Ano. Por esse trabalho, foi apontado pela critica italiana como o melhor percussionista do mundo. Em 1978 gravou seu disco mais célebre, Bandeira de Aço. Entre 1979 e 1981, atuou como músico em shows de Toquinho e Vinícius de Moraes.
De 1982 a 1992, acompanhou Toquinho em 482 shows, em turnê por 18 países. Foi considerado pela Apca como o melhor percussionista brasileiro nos anos de 1983, 1984 e 1985.
A partir de 1990, passou a apresentar-se pelo Brasil com uma banda própria, interpretando músicas do Maranhão. Nessa época, começou a se dedicar à pesquisa, registro e divulgação das obras de compositores maranhenses.
Papete também era engenheiro ambiental e se dedicava a ser uma voz na defesa do meio ambiente no Maranhão e no Nordeste.
O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) homenageou o artista e destacou o trabalho de Papete em sua página no twitter: “Minhas homenagens ao querido cantor e compositor maranhense Papete, que nos legou uma grande e imortal obra”,
Ao longo de sua carreira artística, atuou em shows e gravações com Rosinha de Valença, Marília Medalha, Hermeto Pascoal, Osvaldinho da Cuíca, Toquinho e Vinicius, Benito de Paula, Inezita Barroso, Renato Teixeira, Almir Sater, César Camargo Mariano, Rita Lee, entre outros.
http://www.gazetadopovo.com.br/caderno-g/musica/musico-maranhense-papete-morre-aos-68-anos-0bwwucm1nuz40i8cxe7ij9fk9

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Fogo-pagô no quintal









Coisas estranhas têm acontecido em nosso país. Deputados e senadores afastaram a presidente da república (impeachment!). Segundo esses políticos, a presidente teria cometido crime de responsabilidade, mesmo ela não tendo se envolvido em corrupção. O vice-presidente assumiu e formou um governo composto por – adivinhe? – políticos acusados de corrupção. A principal notícia de ontem foi uma gravação em que o principal ministro do “novo” governo revela que o impeachment não foi em função de nenhum crime de responsabilidade, mas para montar um governo com o vice-presidente e blindar os corruptos. Falou-se que havia (há) um golpe em curso, mas algumas pessoas preferiram acreditar no apresentador do telejornal e no juiz cuja pose em intocável terno preto nos lembra Mussolini e o fascismo.
Como muitos brasileiros, já acordo pensando nos estranhos acontecimentos que estamos vivendo. Sento-me para tomar café e minhas divagações são repentinamente interrompidas por um som que se repete: fogo pagô, fogo pagô, fogo pagô. Levanto-me e vou até o quintal. Fogo pagô, fogo pagô, fogo pagô, continua aquela linda música, que desde a infância não ouvia. Chamo toda a família para o quintal; caras apreensivas.
- Sabem o que acabo de descobrir? Nós temos uma fogo-pagô no quintal.
- O quê?
- Uma rolinha fogo-pagô. Escutem.
E, como se tivesse me ouvido e me obedecesse, a fogo-pagô repete o seu canto: fogo pagô, fogo pagô, fogo pagô...
Convoco todos a descobrir onde o passarinho se esconde. Começa a procura, que não demora. A fogo-pagô está no alto do pé de goiaba. Com a nossa aproximação, a ave silencia. Mas aí somos nós que permanecemos quietos por uns minutos, e a fogo-pagô volta a cantar. Para nossa surpresa, a “nossa” fogo-pagô canta em dupla: outra rolinha fogo-pagô responde do quintal vizinho. Escutamos. Elas dialogam entre os quintais. Mexo-me para tentar ver melhor a fogo-pagô – então ela voa para o quintal vizinho.
Entramos.
Estou indo para o trabalho. Antes de sair, volto a ouvir: fogo pagô, fogo pagô, fogo pagô... Ah se pudesse levá-la comigo! Como não posso, resta me confortar com a ideia de que amanhã de manhã ouvirei de novo o seu canto e de novo me encantarei, como se fosse a primeira vez.
Que bom seria se pudesse passar o dia a ver e ouvir os passarinhos cantadores... Mas sou logo afetado pelos estranhos acontecimentos relatados no início da crônica: não posso alienar-me da realidade do país. Tenho que continuar denunciando os homens sórdidos que mentem, manipulam, roubam e que podem exterminar florestas e vidas e aniquilar as aves que cantam e os homens e as mulheres que ainda se encantam.